Ouro, o metal mais sedutor da história da humanidade

Ouro, o metal mais sedutor da história da humanidade

Nenhum outro metal ou pedra preciosa mexeu tanto com a cobiça humana quanto o ouro. A desejada pedra bruta foi sendo gradativamente trabalhada e sempre esteve nos bastidores de lendas, guerras, casamentos e até mortes. Dos antigos egípcios que o viam como status social ao Tesouro dos Estados Unidos, o ouro é um dos metais mais influentes da história da humanidade.

A icônica Panthère, de Cartier, símbolo máximo do luxo

De cor (e brilho) que fascinam, ele se tornou um dos símbolos da riqueza e do luxo. Por conta de sua escassez, mas não só. É difícil encontrar e extrair o metal, mas também é impossível não se render aos seus encantos estéticos. Ou o que dizer da icônica Panthère, da joalheria e relojoaria francesa Cartier, que virou objeto de desejo dos entendidos e também dos leigos que não conseguem parar de admirar seus detalhes. 

O metal nobre sempre mexeu com o imaginário humano. Um dos momentos altos de sua história se deu no final dos anos 1800, na Califórnia, quando a busca por uma única pepita deu início a chamada “corrida do ouro”, levando 300 mil pessoas de todos os países para aquela região. Esse acontecimento levou a um grande desenvolvimento desse estado americano, até hoje o mais rico de todo país.

Diz a história que os primeiros flocos do metal foram descobertos nas cavernas paleolíticas. Evidências arqueológicas revelam que, ao entrar em contato com aquela pedra de fundo dourado, os homens das cavernas teriam ficado fascinados.

Foi no antigo Egito, em torno de 3.000 aC, que o ouro ganhou relevância e entrou para a eternidade. Ele era tão apreciado pelos faraós e sacerdotes que as pedras das pirâmides de Gizé foram feitas de ouro sólido. O metal de estética singular também surge nas salas de trono, nos túmulos e em outros ambientes luxuosos.

Ouro, símbolo de status no Egito Antigo

Foram os egípcios que produziram a primeira relação de troca de moeda utilizando o famoso metal. Um pedaço de ouro equivalia duas partes e meia de prata. Os egípcios também produziram mapas de ouro – alguns dos quais sobrevivem até hoje. Esses mapas revelavam onde encontrar minas e vários depósitos do metal no reino egípcio.

No passado, ele era sinônimo de poder. Não por acaso, os gregos também consideravam o ouro um símbolo de status social e uma glória entre os deuses. Ele sugere na Bíblia, no livro do Gênesis, onde as terras de Havilá, nas proximidades do Jardim do Éden, teria o metal de cor dourada.

Se tem uma cor que jamais sairá de moda é o dourado. Tanto nas roupas quanto nos acessórios. Entenda-se como vestidos, saias, blusas, bolsas, sapatos e uma infinidade de joias. Das grifes de luxo ao universo das fast-fashions que se inspiram na haute couture, o ouro em diferentes tons e nuances é, independentemente da coleção e da estação, o queridinho dos estilistas e fashionistas.

Charlize Theron para Dior, em um cenário dourado reluzente

O ouro, dado seu poder e fama ao longo da história, foi alçado ao topo. Desde então, simboliza riqueza, sucesso e status. Não só pelo metal que é, mas também pela cor. Sinônimo de prosperidade, luxo, elegância e sofisticação, ele virou o queridinho do universo do design, da moda, da perfumaria e também dos produtos de beleza.

Da esq. para dir., vestido do estilista libanês Elie Saab, bota do espanhol Manolo Blahnik e braceletes da francesa Cartier

Como adorno de suas embalagens e também em sua composição, o ouro ganhou a atenção de muitos cientistas que passaram a enxergar no metal um interessante ativo para ações de combate ao envelhecimento e também inflamação da pele. Hoje, é fácil encontrar, no Brasil e no exterior, máscaras faciais à base de ouro. Marcas de cosmético de luxo também adicionaram o ingrediente às suas criações.

Linha Make me Fever Gold, da Mahogany

Na perfumaria, não é diferente. Muitas marcas sofisticadas abraçaram o metal e seus significados para desenhar fragrâncias inspiradas nele. Em frascos dourados e reluzentes, eles revelam notas que remetem ao glamour e à sofisticação. Esse é o caso do perfume Make me Fever Gold, da Mahogany. Dado seu sucesso, virou uma família e ganhou extensões como sabonete líquido, em barra e hidratante corporal.

Best-seller da Mahogany, Make me Fever Gold é uma fragrância de padrão internacional, criada por Roland Theil, renomado perfumista francês. Sua essência floral fresca remete à sofisticação. Após a primeira borrifada, surgem as notas de bergamota e lichia. No corpo, uma deliciosa combinação de rosa, gerânio e muguet. De fundo, cedro, musk branco e cristais de rosa.

Mahogany Cosméticos traz sempre os Melhores Momentos para você.

8 Replies to “Ouro, o metal mais sedutor da história da humanidade”

  1. Parabéns a Mahogany por mais esse ‘ MOMENTOS MAHOGANY’ nos danos ótimas informações desse metal admirado pelos homens em todo mundo. SUCESSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *